Clínica Dom Guanella

5 CURIOSIDADES SOBRE OS OLHOS

Você sabe do que é feito a lágrima?

Você provavelmente pensou que a resposta dessa pergunta é apenas sais minerais e água. Não está errado, mas na verdade as lágrimas contém também gorduras (lipídios) e muco (glicoproteínas). É por isso, inclusive, que elas demoram mais para evaporar.

O peso da visão

Quanto você acha que seus olhos pesam? É muito difícil tentar quantificar isso, pois eles estão sempre grudados em nosso rosto. Mas o peso aproximado dos nossos olhos é de 28 gramas cada: isso equivale a R$ 1,50 em moedas de cinquenta centavos!

As melhores lentes fotográficas

Já notou que nossos olhos são capazes de focar em diversos objetos em poucos milésimos de segundo?

Se você alguma vez mexeu em uma máquina fotográfica, sabe que ela demora um pouco para mudar seu ponto de foco. Nossos olhos, contudo, fazem isso em uma velocidade muito maior do que as lentes da câmera mais moderna!

Quantas vezes piscamos por dia

Piscar é essencial para a lubrificação dos nossos olhos. Mas já parou para se questionar quantas vezes nós piscamos por dia? É impossível obter dados exatos, mas a média de piscadas por minuto é 20! Isso faz com que a média diária seja 28 mil piscadas.

Porque não conseguimos espirrar de olhos abertos

Você já percebeu que não é possível ficar com os olhos abertos durante um espirro?

Isso ocorre porque o espirro é uma ação de reflexo e involuntária em resposta a algum efeito externo como pó e ácaro. O espirro é provocado de forma tão rápida e violenta que faz diversos músculos do corpo e da face contraiam, por isso não conseguimos manter os olhos abertos.

Continue acompanhando nosso blog para mais curiosidades!!!

 

Dra. Marindia Graciolli – Oftalmologista – CRM 38.533

Quantas cores você consegue distinguir?

A especialista em Neuro-marketing Diana Derval desenvolveu um teste para identificar a quantidade de cones (células receptoras de cor) e, consequentemente, o tipo de visão que um indivíduo possui. É simples: observe a imagem e conte quantas cores distintas – e suas variações também – você enxerga.
Menos de 20 cores: pessoa dicromática. Isso significa que você possui duas células receptoras de cor assim como os cães! É o caso de um quarto da população mundial, não sendo muito raro.
Entre 20 e 32 cores: pessoa tricromática, ou seja, que possui três cones. Em torno de metade da população enxerga deste modo, tendo maior facilidade para identificar tons de azul, violeta, verde e vermelho.
Entre 32 e 39 cores: você é tetrocromático! Este caso é, em tese, apenas aplicado a mulheres. Isso se dá em via do cromossomo X carregar dois tipos de de células receptoras de cor – o vermelho e o verde. Como mulheres possuem dois cromossomos X, é possível que tenham quatro cones sensíveis a um espectro de cores diferente.
Mais de 39 cores: ou você contou errado, ou é um crustáceo. A imagem apresenta apenas 39 cores, sendo muito difícil enxergar além de 35.
Continue acompanhando nossas dicas e curiosidades!
Dra. Marindia Graciolli – Oftalmologista
CRM 38.533

Ambliopia ou “Olho Preguiçoso”

Ambliopia (ou olho preguiçoso) é um termo oftalmológico para definir a baixa visão que não é corrigida com óculos. Podemos dizer que a causa não está especificamente no olho, mas sim na região cerebral que corresponde à visão. Caso não seja devidamente estimulada no momento certo, o olho não aprende a ver corretamente.

É importante levar seu filho para a primeira consulta logo no primeiro ano de vida. Se a ambliopia não for tratada até aproximadamente 6 anos de idade, a pessoa poderá ter uma perda visual irreversível em um ou em ambos os olhos, conforme o caso.

Normalmente ocorre cura se o tratamento for feito corretamente e na época adequada.

Não deixe de levar seu filho ao oftalmologista.

 

Oftalmologista Dra. Maríndia Graciolli – CRM 38.533

Catarata na infância 

A catarata congênita é uma das principais causas de cegueira na infância, ela é causada pela malformação no cristalino (uma lente natural que fica localizada dentro do olho e é responsável pelo foco). A malformação pode ocorrer durante o desenvolvimento do feto ou nos primeiros meses de vida(catarata infantil). 
Doenças como rubéola, toxoplasmose e a sífilis materna podem ocasionar problemas de catarata no feto ou recém-nascido. A doença se manifesta em um ou em ambos os olhos, com forma e intensidade variadas, podendo ocorrer como enfermidade isolada ou associada a outras patologias.
 
As principais alterações da catarata congênita:
– Dificuldade visual ou ausência completa de visão;
– O aparecimento de um ponto esbranquiçado (ou “pupila opaca”) no olho do bebê, como mostra a imagem;
– Estrabismo, que é o desvio ocular;
– Nistagmo, que são movimentos rápidos e não coordenados dos olhos em diversas direções;
– Nanoftalmo, que é quando o olho afetado apresenta tamanho menor que o normal.
 
Quando houver essa suspeita, é necessária uma atenção especial dos profissionais da saúde para que o diagnóstico precoce possa evitar complicações irreversíveis.
 
Algumas crianças precisam de um exame mais detalhado para o diagnóstico, por isso é tão importante todos os bebês consultarem no primeiro ano de vida, pois quanto antes receber o diagnóstico melhor a visão na fase adulta.

5 Curiosidades sobre os olhos

É por meio desse órgão que recebemos cerca de 80% das informações que são transmitidas para nosso cérebro, mas, eles escondem ainda outras curiosidades:

 

-O órgão processa 36 mil bits de informação por hora, velocidade comparável à mais rápida aeronave existente;


-Cada olho pesa aproximadamente 28 g e tem cerca de 2,5 cm de diâmetro;


-Os músculos que controlam os movimentos dos olhos são os mais ativos do corpo humano e se movem mesmo durante o sono;


-Existem pessoas que nascem com um olho de cada cor. Essa alteração genética se chama heterocromia;


-Cada olho tem um ponto cego que fica na parte de trás da retina, porém ele não é perceptível, pois os olhos trabalham em conjunto e um cobre o ponto cego do outro.

 

Saiba mais! Agende uma consulta!!

Dra. Maríndia Graciolli – Oftalmologista – CRM 38.533

Exame ocular em bebês com conforto, segurança e tranquilidade

Os olhos têm uma estrutura delicada, o que naturalmente inspira nas mães o medo de levar seus bebês ao exame oftalmológico, muitas vezes até considerado invasivo. Mas a verdade é que os procedimentos são realmente seguros.
Faz parte da prática oftalmológica uma série de manobras e técnicas para a realização de exames em crianças com menos de dois anos de forma eficiente, simples e confortável.
O principal objetivo durante a consulta é que paciente e mãe possam se sentir tranquilos, assim o diagnóstico terá qualidade e precisão.
Portanto, é fundamental que a mãe vença seus receios confiando nas manobras, técnicas e na tecnologia empregada em oftalmopediatria. Tudo isso está disponível para que as crianças tenham acesso aos exames oftalmológicos o mais cedo possível com a tecnologia mais próxima daquela empregada para o adulto, pois a prevenção e o diagnóstico precoce podem definir a saúde da visão por toda a vida.
Não espere seu filho reclamar de dificuldades para enxergar.
Toda criança deve ser avaliada por um médico oftalmologista, entre seis e 12 meses de vida ou antes, se os pais, familiares ou pediatra perceberem qualquer comprometimento ocular.
Os próximos exames oftalmológicos devem ser feitos anualmente e durante toda a infância e adolescência, como forma de prevenção.
É essencial lembrar que muitas doenças oculares da infância só tem tratamento efetivo antes dos 7 anos.
Dra Marindia Graciolli
Oftalmologista
CRM 38533
× Agendar Consulta por WhatsApp