Clínica Dom Guanella

TAPIOCA X PÃO FRANCÊS

Qual destas opções é a melhor escolha no processo de emagrecimento?

Na verdade boa mesmo nenhuma é!

Porém o pão francês ainda fica à frente em alguns quesitos, desmistificando a ideia de que não podemos comer pão francês se quisermos emagrecer.

Mas aí tapioca pode?

Estou falando aqui do excesso de farinha de tapioca e não de apenas 1 colher de sopa indicada no preparo da crepioca (panqueca com ovo).

Deixe eu explicar: A tapioca praticamente se iguala ao pão francês no quesito calorias e concentração de carboidrato, porém perde quando comparamos as quantidades de gordura e proteína contidas em 50g de cada produto (o equivalente a 1 pão e 1 tapioca média).

Portanto, o índice glicêmico da tapioca é maior, ou seja, ela possui uma digestão mais rápida, gerando maior pico de glicose e liberação de insulina (hormônio responsável pelo armazenamento de gordura).

Moral da história:

Nem o pão francês é o vilão do processo de emagrecimento e nem a tapioca pode ser colocada em um pedestal como sendo algo tão saudável e adequado para todo mundo.

O importante mesmo é mantermos o equilíbrio em nossa rotina alimentar.

Ficou com dúvidas?

Agende uma consulta, a nutricionista Fernanda Santos, fará um plano personalizado e equilibrado de acordo com suas necessidade.

 

Fernanda Santos – CRN2 10283

NUTRIÇÃO E SAÚDE DA COLUNA VERTEBRAL

Como a coluna vertebral é formada por ossos (chamados de vértebras), bem como por músculos, ligamentos tendões e discos, não nos espanta o fato da nutrição exercer um papel importante para a sua saúde, assim como para a saúde de todo o nosso corpo.

Os ossos são constituídos de inúmeros elementos. Podemos citar como essenciais à saúde óssea os seguintes nutrientes:

Cálcio: Nutriente que forma o tecido ósseo. Sua absorção pode ser prejudicada pelos seguintes fatores: maior ingestão de sódio, consumo excessivo de alimentos integrais (devido aos fitatos, substância presente nas fibras), também pela deficiência da vitamina D, sedentarismo, alto consumo de açúcar, alto consumo de ácido fosfórico (contido nos refrigerantes, principalmente à base de cola).
O cálcio é encontrado principalmente nos laticínios, porém esta fonte não possui boa absorção, sendo necessário também o consumo de outras fontes.
Ótimas fontes são: os vegetais de coloração verde escuro (brócolis, couve, etc), alfafa, gergelim, aveia, amêndoa, feijão azuki, sardinha e suco de açaí.

Vitamina D: Nutriente que auxilia na absorção do cálcio (dentro do intestino). Poucos alimentos possuem boa quantidade deste nutriente. Como fontes principais podemos citar os peixes, laticínios, óleo de fígado de bacalhau e fígado de atum, porém as quantidades contidas são pequenas. Já os vegetais são pobres nesta vitamina, sendo o cacau a única fonte vegetal que contém quantidades significativas.
Observa-se na população uma frequente deficiência desta vitamina e pesquisas recentes indicam valores ótimos próximos a 50ng/ml, diferente dos valores de referência utilizados nos exames de sangue.
Pegar sol é a melhor forma de sintetizar (produzir/absorver) esta vitamina. Portanto, há a necessidade da suplementação deste nutriente, já que a exposição ao sol está cada vez menos frequente e o uso de protetor solar aumentou significativamente.
Esta vitamina é melhor absorvida na presença de gordura e a saúde articular também depende de doses ajustadas desta vitamina.

Magnésio: Nutriente que evita a deposição de cálcio em artérias, articulações e outros tecidos. Ou seja, é o magnésio que conduz o cálcio para que se fixe exatamente nos ossos de todo o nosso corpo. Além disso, reduz as tensões musculares por agir como um potente relaxante muscular.
As melhores fontes são: a semente de abóbora, gergelim, linhaça, castanhas, amendoim e folhas verdes, pois o magnésio faz parte da molécula de clorofila que dá cor verde aos vegetais.
Pesquisas demonstram deficiência deste nutriente na população brasileira, sugerindo a necessidade de suplementação, pois é um mineral muito requisitado pelo organismo, participando de mais de 300 reações no nosso corpo.

Vitamina K2: Nutriente essencial para evitar a calcificação de tecidos moles (articulações, artérias, rins, etc), bem como para evitar a desmineralização óssea (remoção do cálcio dos ossos). Ou seja, exerce papel similar ao magnésio como condutor do cálcio. Vitamina recentemente descoberta, é chamada de vitamina antienvelhecimento. Pessoas que a consomem possuem ossos mais fortes e menos propensão a osteopenia e osteoporose. As principais fontes são: fígado, coração de galinha, vísceras em geral, ovos e também pode ser produzida pela fermentação de algumas bactérias no intestino.

Observa-se deficiência deste nutriente na população, principalmente em pessoas com uma alimentação muito industrializada. Sugerindo-se a suplementação.

Já os músculos ligamentos, tendões e discos que constituem a coluna vertebral dependem dos seguintes nutrientes:

Proteína: Considerada os tijolos da construção do nosso corpo, auxiliam na formação e renovação destes tecidos. Este nutriente está presente nas carnes, ovos, laticínios, em algumas sementes como as oleaginosas e nos feijões, lentilha, ervilha, grão de bico, soja, etc.
Observa-se um baixo consumo de proteína dentre a população, principalmente pelo alto consumo de alimentos industrializados, pobres neste nutriente.
A suplementação de colágeno ou peptídeos de colágeno nada mais é do que um suplemento de proteína, pode sim ser empregada para o auxilio da regeneração das articulações, porém não terá ação eficaz garantida caso o consumo diário de proteína seja inadequado. Uma ótima fonte de proteína é o corte bovino chamado de músculo, carne rica em cartilagem.

Água: Elemento essencial à vida, não poderia ficar de fora da lista. Importante para manter a hidratação dos discos intervertebrais e a quantidade de líquido sinovial, presente nos ligamentos e tendões articulares. A correta hidratação destas estruturas auxilia na prevenção das lesões.
Para sabermos a quantidade correta de água que cada indivíduo deve consumir, basta fazermos a seguinte conta: peso em kg x 35ml de água = quantidade mínima diária. Ex: 55kg x 35ml = 1925ml/dia.

Outra questão muito importante e que influencia diretamente na saúde da coluna e no surgimento das dores é a manutenção do peso corporal adequado. O excesso de peso comprime as articulações e os discos intervertebrais causando um maior atrito entre um osso e outro, aumentando também o processo inflamatório.

Para evitarmos o sobrepeso e a obesidade é necessário mantermos uma alimentação saudável, com alimentos de verdade, sendo o mais natural possível. Ajustar as quantidades ingeridas e praticar exercícios é essencial, bem como evitar o consumo de refrigerantes, adição diária de açúcar nas preparações e o consumo excessivo de doces.

Um grande vilão para o ganho de peso é o consumo excessivo e muito frequente de alimentos ricos em carboidratos, principalmente refinados (farinhas brancas). Portanto, reduzir também a quantidade e a frequência do consumo de pães, massas, batatas, biscoitos, aipim, arroz, farinhas em geral ,etc, é muito importante, assim como aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras variados, dando sempre preferência aos alimentos da época.

Mas e se a lesão e a dor já estiverem instaladas, o que fazer?

Continuar com todos os cuidados acima citados é essencial para que o problema não progrida.
Outra alternativa é apostar em alimentos e fitoterápicos com ação anti-inflamatória, pois o uso de medicamentos anti-inflamatórios à longo prazo pode gerar lesão nos rins e na parede do estômago. Portanto, seu consumo não deve ser administrado por conta própria sem cautela, como se observa muito por aí.

Com ação anti-inflamatória podemos citar:

Ômega 3: (presente no atum, sardinha, cavala, arenque, salmão) e nas sementes de gergelim, linhaça e chia. Para absorber o ômega 3, devemos consumir a farinha destas sementes (comprá-las na forma de semente e triturar em casa, para preservar suas propriedades).

Gengibre: Raiz que podemos consumir como tempero, usá-la em pó, adicionando aos sucos ou outros alimentos ou como chá. Para conseguirmos extrair ao máximo suas propriedades devemos ferver a raiz, colocar 1 rodela do tamanho da moeda de 1 real para 300ml de água e ferver por 3 a 5 minutos. Consumir quente ou frio, diariamente. Também podemos suplementar este alimento em capsulas, potencializando sua ação anti-inflamatória.

Ervas aromáticas: alho, cebola, curry e açafrão – cúrcuma (potente anti-inflamatório). A suplementação com capsulas de cúrcuma já é bem relatada nas pesquisas como uma ótima opção anti-inflamatória.

Frutas cítricas: limão, acerola, laranja, abacaxi, e até mesmo a goiaba e o mamão, possuem boas doses de vitamina C, potente antioxidante.

Frutas vermelhas: melancia, romã, morangos, cereja, uva. Apresentam boas quantidades de compostos antioxidantes.

Sementes oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas, amendoim. Possuem várias vitaminas e minerais com ação antioxidante. As substâncias antioxidantes possuem ação anti-inflamatória.

Vegetais: como brócolis, repolho, couve flor e couve.

Gorduras: o óleo de coco e o azeite de oliva também apresentam benefícios.

Própolis: possui ação anti-inflamatória bem evidenciada. Existe o alcoólico e o aquoso. O alcoólico é mais concentrado, por isso seu sabor é mais acentuado. O aquoso é menos concentrado, possuindo sabor mais suave. Porém ambos são eficazes desde que se ajuste as doses ingeridas. Geralmente 10 a 15 gotas do alcoólico para 20 gotas do aquoso.
Existem tipos diferentes de própolis, sendo o verde proveniente de abelhas que trabalham no alecrim. Este apresenta potente ação anti-inflamatória, já o própolis vermelho possui ação antioxidante.

Alguns fitoterápicos também são bem interessantes:

Canela de velho, unha de gato, garra do diabo, erva baleeira, dente de leão e moringa.

Os chás que utilizam folhas devem ser preparados infusão, ou seja, aquecer a água e despejar sobre a erva escolhida, abafando-a por 5 minutos. A medida deve ser de 300 a 600ml de água para cada colher de sopa da erva. Caso você não consiga consumir o chá muito concentrado, utilize os 600ml de água.

Já os chás feitos de raiz e casca devem ser fervidos por 5 minutos com a panela coberta. É importante fazer um rodízio no consumo dos chás e não utilizar a mesma erva por muito tempo. Assim sua eficácia é melhor.

Os fitoterápicos também podem ser utilizados como extrato seco em cápsulas, variando as doses de acordo com o paciente. Desta forma, sua ação se potencializa.

Vale a pena citar também um composto com magnésio e inositol (vitamina do complexo B). Possui uma excelente resposta no controle das dores musculares.

Para finalizar deixo um recado:

A saúde da nossa coluna bem como a nossa saúde geral é dependente de um conjunto de ações realizadas de forma constante. Não há milagres, não há um único profissional capaz de sanar todas as enfermidades, como também não há um produto que seja milagroso. Portanto, devemos sim criar a consciência da importância de todas estas ações e praticá-las no nosso dia a dia, mesmo que aos poucos, mesmo que de forma incompleta, pois afinal, novos hábitos são formados pelas tentativas de mudanças e pela constante repetição de um ato, estando sempre em constante
construção.

 

Nutricionista Fernanda Santos – CRN2: 10283

Nutrição e controle da pressão arterial

Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, acontece quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9).

A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem. O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe.

Quando elevada ataca os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper.

Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto.

No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao “derrame cerebral” ou AVC.

Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos.

Esta doença não escolhe pessoas. Ataca homens e mulheres, brancos e negros, ricos e pobres, idosos e crianças, gordos e magros, pessoas calmas e nervosas.

A Hipertensão é muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas.

Assim, estima-se que atinja em torno de, no mínimo, 25% da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil.

É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.

As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle da pressão.

Para que o tratamento desta patologia seja realmente eficaz é essencial que o indivíduo mantenha uma alimentação saudável e ajustada à sua necessidade, controlando seu peso corporal e equilibrando o consumo de alguns nutrientes.

Dentre estes nutrientes podemos citar:

  • Carboidratos refinados: Devem ser evitados, pois estimulam a liberação do hormônio insulina o qual propicia um maior enrijecimento dos vasos sanguíneos. São fontes deste nutriente: farinha de trigo branca, farinha de arroz branco, fécula de batata, fécula de mandioca, polvilho, doces em geral, açúcares, pães e biscoitos preparados com estas farinhas, sucos de pacote, sucos de caixinha, bebida alcoólica, etc.

 

  • Sódio: Atrapalha muito o controle da doença por atrair água para dentro dos vasos sanguíneos aumentando a pressão. Os alimentos mais ricos neste mineral são o sal e principalmente conservas, embutidos (salame, linguiça, presunto, etc), alimentos congelados (industrializados) temperos tipo caldos de carnes, shoyo, molhos para saladas, e alimentos industrializados de forma geral, pois utilizam o sódio como conservante. Até mesmo alimentos doces são cheio de sódio. Uma dica para reduzir o consumo do sal é deixar para acrescentá-lo no final do preparo, assim nossa língua reconhece mais o sabor, mesmo adicionando uma quantidade menor, já que o sal ainda não penetrou totalmente no alimento. Temperar bem a comida com ervas frescas ou desidratadas também é uma ótima opção para intensificar o sabor. Em resumo, quanto mais comida natural comermos menos sódio iremos ingerir.

 

  • Magnésio: Atua como relaxante muscular, reduzindo o enrijecimento dos vasos sanguíneos, além de participar da produção de serotonina, hormônio que reduz o estresse. É encontrado principalmente em alimentos de coloração verde, em sementes como a de abóbora, gergelim, linhaça, castanhas, amêndoas e amendoim.

 

  • Potássio: Essencial, pois regula a excreção de sódio, pelo mecanismo chamado bomba de sódio e potássio, ou seja, quanto mais adequadas forem as concentrações de potássio no organismo, menos sódio iremos reter. Ótimas fontes deste mineral são a banana, manga, coco e água de coco, abacate, açaí, damasco, figo, goiaba, kiwi, mamão, melão, laranja, maracujá, bergamota, uva, feijão, ervilha, grão de bico, nozes, castanhas, amêndoas, etc.

 

Uma observação importante que deve ser feita é sobre a utilização de diuréticos para o controle da doença, pois muitos deles além de facilitar a excreção de sódio, fazem também perder potássio pela urina, mineral este que
é tão importante para o tratamento da doença e que na maioria dos casos encontra-se em níveis mínimos ou baixos no organismo. Isto parece contraditório não é mesmo?

Portanto, minha dica é, conversem com seu medico, questionem possibilidades e peçam, para que sempre que possível, prescrevam diuréticos classificados como poupadores de potássio. Nos casos em que o uso deste diurético não for possível, será mais importante ainda o controle das taxas de potássio pelos exames laboratoriais e a reposição por meio do consumo de alimentos mais ricos neste mineral.

Nutricionista Fernanda Santos – CRN2 10.283

Como compensar os exageros da Páscoa?

Durante esta semana reduza a quantidade de alimentos consumidos priorizando muitos legumes e verduras variados.

Coma também 3 frutas diferentes e foque no consumo de ovos e carnes brancas.

Evite pães, biscoitos, macarrão, batata, aipim, polenta, etc.

Consuma muita água e se exercite como de costume ou um poucos mais, se possível for.

Entenda que se comeu de forma ruim e em excesso alguns dias, terá que comer de forma saudável e em quantidades menores por  alguns dias para equilibrar a conta da ingestão calórica e distribuição de nutrientes ingeridos.

E após, vida que segue…

É só retomar a rotina de exercícios e  a alimentação saudável habitual que você continuará obtendo resultados.

Gostou da dica? Então curte e compartilha com os amigos!!!

Nutricionista Fernanda Santos – CRN 2 10.283

Como escolher um chocolate mais saudável?

Quando o assunto é chocolate se torna quase unânime o apreço que as pessoas têm por este alimento. Há quem diga que não vive sem e até se intitula como chocólatra de plantão.

Mas em meio a tantas opções como escolher um chocolate mais saudável e que possa ser
apreciado sem culpa?

Bom, vamos lá…

Ao analisar as distintas marcas devemos sempre olhar a lista de ingredientes, contida na embalagem do produto, nela deve estar descrito massa de cacau, liquor de cacau ou apenas cacau como primeiro item da lista de ingredientes. Toda lista é feita na ordem decrescente, logo o que é descrito primeiro tem mais no produto.

Como exemplo destes chocolates podemos citar as marcas que apresentam no mínimo 70% de cacau em sua composição.

Já a lista de ingredientes dos chocolates ao leite, ou até mesmo os que contem 50% de cacau, iniciam com a palavra açúcar, o que nos mostra que há bem mais açúcar neste produto do que cacau de fato!

O chocolate branco, também muito apreciado, é feito da manteiga de cacau e por isto apresenta mais gordura e açúcar em sua composição, isto justifica o fato de derreter mais na boca e ter um sabor mais adocicado.

Também devemos ficar atentos e verificarmos se na lista de ingredientes aparece a palavra gordura hidrogenada ou gordura vegetal (significa gordura trans). Esta gordura é bastante prejudicial para nossa saúde. Portanto, devemos evitar alimentos que as contenham!

Observem se a lista de ingredientes do produto é muito extensa e se nela são descritos muitos nomes que muitas vezes não conseguimos sequer pronunciar (estes nomes são os aditivos químicos inseridos para maior conservação).

E Por fim, a dica mais importante…

Independente do chocolate que você venha a escolher, consuma-o com moderação, não coma tudo de uma só vez, divida-o em partes, guarde uma das partes se for necessário. A porção recomendada para consumo diário é de 25g, o equivalente a uma fileira da barra grande ou 1 chocolate unitário.

Outra dica válida é optar por produtos que contenham apenas chocolate mesmo e não aqueles “tipo bombom”, com casquinhas e recheios caramelizados, pois isto aumenta a concentração de carboidratos e açúcar no produto.

 

Nutricionista Fernanda Santos – CRN 2 10.283

CURIOSIDADES SOBRE O ABACAXI

O abacaxi é uma rica fonte de vit. C, apresenta boa quantidade de vitamina B6, ácido fólico, ferro, magnésio e manganês. A oferta desses minerais e vitaminas para o organismo ajuda a equilibrar o metabolismo.

O abacaxi contém fibras solúveis que ajudam a aumentar a saciedade e possui a bromelina, enzima que facilita a digestão de alimentos protéicos como carnes, peixes, aves e ovos. Também possui boa quantidade de água, auxiliando na hidratação.

Abaixo segue o valor nutricional em 100g desta fruta.
49kcal (calorias)
12,4g de CHO (carboidratos)
0,39g de PTN (proteínas)
0,4g de Gord. T. (gorduras totais)
1,2g de Fibras
15,4 mg de Vit. C.

A foto representa 300g da fruta o que nos fornece 37,4g de carboidratos, praticamente a mesma quantidade encontrada em 100g de banana =30g CHO. Com relação às calorias, fecha em 150kcal, pouco mais que as 100g da banana =100kcal.
Gostou da dica? Então curte e compartilha com os amigos.
Fontes:
TACO (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos). Fitoterapia Funcional @lucyannakalluf

 

Dicas para um cardápio de Reveillon mais saudável

Mais um ano se finda…

E é chegada a hora da tradicional festa de passagem do ano. Família, amigos, todos reunidos celebrando em meio a tantas comidas. Reservamos para você algumas dicas de como manter uma alimentação saudável e não engordar nesta época do ano.

1 – Carne de porco: uma ótima opção de proteína animal de baixo custo e muito saborosa, deve ser consumida bem assada. Escolha cortes mais magros como pernil ou lombo. Temperos como sal, alho e alecrim são uma boa pedida e para quem gosta do sabor agridoce, rodelas de abacaxi sobre a carne dão um toque todo especial.

2 – Lentilha: há quem diga que só come nesta época do ano, no entanto devemos introduzi-la em nossa rotina alimentar. Substitua a linguicinha por carne de porco e tempere com páprica defumada (dará o sabor da linguiça). Inclua pedaços de chuchu e cenoura para dar rendimento.

3 – Saladas: sempre uma ótima opção em qualquer ocasião. Quanto mais coloridas melhor! Elabore saladas de folhas mistas, junte algum outro vegetal e acompanhe as saladas com frutas. Tempere com azeite de oliva, limão, mostarda ou faça um molho com iogurte natural. Na hora de servir, encha metade do prato, assim você já conseguirá reduzir a quantidade consumida das outras comidas mais calóricas.

4 – Arroz: incrementado de vegetais, bem picados, cozidos e temperados, fica ainda mais saboroso e dá rendimento à receita. Utilize arroz integral ou multi cereais, pois nos dão mais saciedade, acrescente frutas secas como uva passa, damasco ou frutas cristalizadas. Temperos como açafrão, curry, páprica defumada, páprica doce e alho desidratado dão um toque especial.

5 – Frutas: opção leve e nutritiva como sobremesa da festa. Para deixá-las mais atraentes e saborosas, uma ótima dica é mergulhar as frutas em chocolate 50% ou 70% (derretido no microondas) e colocar para gelar. Pasta de amendoim com leite condensado e uvas também fica uma delícia e comer a fruta in natura é sempre a melhor opção.

6 – Bebidas: Água saborizada confere frescor, sabor e requinte à mesa. Na internet há várias ideias de como montar a sua, é uma ótima opção, de baixa caloria e muito saborosa. Para aqueles que não dispensam uma bebida alcoólica, a dica é consumi-la com moderação optando pelo tradicional espumante brut, o qual apresenta apenas aproximadamente 12g de açúcar por litro, conforme dita a legislação. O termo brut significa “bruto”, algo mais natural.

7 – Última e mais importante dica, independente do que você comer ou quanto comer, não se culpe, não alimente pensamentos sabotadores do tipo: “agora já não adianta mais… já fiz tudo errado… sai totalmente da dieta… nem voltarei mais à nutricionista…”. Você deve fazer exatamente o contrário… Se comeu muito hoje, coma menos amanhã e de forma mais saudável possível, priorizando legumes, verduras frutas e carnes brancas e magras. Beba muita água, tome chás como carqueja, alcachofra, cardo mariano, chá verde, hibisco, hortelã, etc. Exercite-se, descanse, tenha uma boa noite de sono e retome a sua rotina alimentar saudável o mais rápido possível… Vida que segue!

 

Fernanda Santos CRN2 10283- Nutricionista

 

 

Alimentação saudável…não espere o dia perfeito!!

Não espere o dia perfeito e a hora exata para iniciar as mudanças na sua rotina alimentar.
Comece pelo que você consegue (estipule pequenas metas, fáceis de atingir), use o que você tem, dê o seu melhor de acordo com a circunstância.
Procure orientação profissional para te ajudar  e principalmente TENHA PACIÊNCIA
Os resultados te encontrarão ao longo do caminho.
 E se algum dia você se cansar de caminhar, pare, descanse um pouco, mas levante e prossiga, sempre em frente.
A ideia é nunca desistir de recomeçar.
Um bom final de semana a todos.
Divirtam-se e façam suas melhores escolhas.
E na segunda?
Bora retomar a rotina saudável e adequada aos seus objetivos.
Nutricionista Fernanda Santos – CRN2 10.283

Colesterol

No dia 8 de agosto comemoramos o Dia Nacional de Controle ao Colesterol, por isso, durante todo o mês de agosto a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e a Sociedade Brasileira de Cardiologia promovem eventos para conscientizar a população dos riscos de ter o colesterol sanguíneo elevado. Esse alerta se faz necessário porque o aumento do colesterol está relacionado ao desenvolvimento de doenças como infarto agudo do miocárdio e
acidente vascular cerebral (AVC).

O colesterol é um componente essencial para o funcionamento do corpo humano, e fundamental para a produção de hormônios como o cortisol, a testosterona e o estrogênio, além de vitamina D e ácidos biliares.

As principais proteínas transportadoras do colesterol são as LDL-colesterol, que são conhecidas como “mau colesterol” porque, quando em níveis elevados no sangue, depositam o excesso de colesterol na parede dos vasos sanguíneos, formando placas gordurosas que os estreitam, dificultando a passagem sanguínea e possibilitando que as mesmas se rompam, formando trombos (coágulos) e, assim, doenças como o infarto e o AVC.  Já as proteínas HDL- colesterol, bom colesterol”, o removem das paredes das artérias, promovendo assim uma “limpeza”
dos vasos sanguíneos.

Dentre os fatores envolvidos no aumento dos níveis de colesterol estão a genética, doenças (como hipotireoidismo) e erros alimentares.

Histórico familiar de doenças cardíacas, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes e demais comorbidades podem mudar o alvo de valores de colesterol em relação aos apontados pelos laboratórios como normais para cada faixa etária.

O tratamento envolve principalmente a melhora do padrão alimentar (baixo consumo de açúcar e de gorduras saturadas, ausência de gordura trans, consumo adequado de gorduras mono e polinsaturadas, grãos integrais, fibras, frutas e hortaliças), realização de atividades físicas e, quando necessário, o uso contínuo de medicamentos que agem aumentado a captação do colesterol no sangue.

 

Endocrinologista Dra. Eline Dias Pereira – Membro titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

INVERNO – Como Emagrecer Nesta Época do Ano:

O inverno é a época do ano onde o que mais queremos é nos acomodar embaixo de uma coberta bem quentinha e ao lado de pessoas especiais. Junto disto vem o desejo por comidas mais quentes e consequentemente mais calóricas, associado à redução da prática de exercícios físicos.

O resultado não poderia ser outro, ganho de peso e insatisfação com a imagem corporal que leva ao aumento da ansiedade e esta por sua vez leva a compulsão alimentar, gerando um ciclo vicioso.

Mas como evitar isto?

Uma boa reeducação alimentar com cardápios variados e personalizados às suas necessidades auxilia nesta e em todas as outras épocas do ano. Basta fazermos escolhas certas, usarmos ingredientes de qualidade e algumas técnicas culinárias para que possamos comer com saúde, reduzindo peso e medidas sem deixar de lado o sabor e o prazer que a comida nos proporciona, pois afinal, comida também é afeto!

Abaixo segue sugestão de uma deliciosa Sopa de Lentilha com frango cenoura e chuchu.

Confira a receita:

Ingredientes:

  • 400g de peito de frango
  • 1 cebola grande
  • 3 dentes de alho
  • 2 tomates
  • sal
  • curry
  • 250g de lentilha
  • 1 cenoura grande
  • 1 chuchu grande
  • salsinha a gosto

Modo de Fazer:

Doure 1 colher de chá rasa de açúcar em uma colher de sopa de óleo, acrescente 300 a 400g de peito de frango, 1 cebola grande e 3 destes grandes de alho, picados. Deixe refogar bem até que o frango esteja bem dourado, se necessário vá adicionando um pouco de água. Após, acrescente 2 tomates grandes e maduros (picados) para formar um molho bem vermelho e bonito. Tempere com um pouco de sal e curry. Em seguida acrescente a lentilha, que já estava de molho por algumas horas (preferencialmente de um dia para o outro), descarte a água do molho e lave-a antes de colocá-la na panela. Misture tudo e adicione água suficiente para o seu cozimento. Se necessário, ajuste a quantidade de sal e de curry e deixe cozinhar em fogo baixo com a tampa da panela fechada, ou se preferir acelerar o processo utilize a panela de pressão. Quando a lentilha já estiver quase cozida, adicione a cenoura, deixe cozinhar por alguns minutos e junto o chuchu, ambos cortados em cubos pequenos. Por fim, junte salsinha e está pronto.

Agende sua consulta com nossa nutricionista e descubra que comer de forma saudável é bem mais fácil, acessível e gostoso do que se pensa. Não perca tempo, corpo bonito para o verão é construído no inverno.

Nutricionista Fernanda Santos – CRN2 10283

× Agendar Consulta por WhatsApp